ENCONTRO…

Como posso te explicar o que aconteceu nos
» Encontros de Jovens», dos anos 60 em Goiânia?
Jovens, que se dedicavam em » BUSCAR A FACE DO SENHOR», ouvindo pregadores sérios, que pregavam a Palavra com poder, e momentos de oração que levavam ao reconhecimento do pecado proprio e consequente quebrantamiento que isto trazia?
Depois vieram os acampamentos, com momentos de » brincadeira» para agradar os jovens, como se os jovens fossem incapazes de levar a sério sua vida espiritual e necessitasse alguma distração para passar o tempo.
Que saudades daqueles Encontros com Deus!!
Será que um dia voltaremos a sentir saudades da Presença de Jesus, a ponto de deixarmos de lado nosso divertimento e passarmos 3 dias com Ele, sem outra meta, a não ser desfrutar de Sua gloriosa PRESENÇA?

Pensemos nisto!!!!

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com

A VISÃO…!

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

Estava estudando alguns ensinamentos bíblicos, mas tive sono e dormi tão profundamente que até sonhei. Poderia dizer que este seria um motivo para me envergonhar.
Mas o resultado foi totalmente inesperado, como quase tudo o que tem a ver com Deus e a forma de Ele agir.
No meu sonho, eu perguntava ao Senhor o que deveria fazer para conhecê-lo mais de perto, para ter uma relação mais profunda com Ele, poder entender quais eram Suas decisões em relação à minha vida.
Como todos os sonhos, este também teve sua particularidade.
De repente, vi um copo que se inclinava, derramando um tipo de líquido. E então uma voz falou: Se você quer mais profundidade, esvazie seu copo.
– Mas esvaziar de quê- Dos seus conhecimentos, da sua sabedoria, da sua vaidade, do seu orgulho, de tudo aquilo que você aprendeu pensando que era a verdade, de tudo aquilo que feriu, incomodou ou prejudicou você.
E não é questão de virar o copo de uma vez, senão deixar que saia tudo devagar, para não deixar nenhum resto velho contaminando o recipiente.
– Eu sou o recipiente, Senhor?
– Claro, quem senão você?
– E quando o copo estiver vazio, o que vai acontecer?
– Então, e só então, poderei lhe dar a Sabedoria que você me pediu, a capacidade de perdoar que sei que você tem no seu coração, a intenção de não julgar e de ser prudente.
Vou colocar estas e muitas outras coisas no copo, mas para isso ele precisa estar totalmente limpo, porque existem coisas que não podem ser divididas e uma delas é a Verdade.
Não posso colocar em seu copo sujo o significado da Verdade que meu Filho ensinou, porque ficaria contaminada com suas velhas convicções, com suas falsas certezas, com suas antigas rebeldias.
Quando o copo estiver limpo e brilhante, então poderei dar a você tudo o que decidi presentear por Graça – não porque mereça, mas sim porque preciso de você como um copo limpo, para levar esta mesma mensagem a outras pessoas.
No resista a este chamado, porque existem muitas coisas que te agradam e irão desaparecer da sua vida, mas nenhuma delas serve para aquilo que eu quero você.
Obrigado, Senhor!

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

O REINO

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

O sentimento de pertencer ao país onde nascemos é uma das questões que mais me surpreende, porque também pode ser vista naqueles que, como eu mesmo, falamos que somos filhos de Deus.
O mundo tem visto inúmeros conflitos, guerras horríveis, que tiveram como resultado milhares de vidas sacrificadas no satânico altar do fanatismo nacionalista.
Ainda hoje podemos ver como existem em algumas regiões do planeta ameaças de novos conflitos, revelando que as guerras por questões de nacionalismo continuam vivas porque o orgulho de pertencer a um determinado lugar ainda alimenta ódio nos corações.
Por isto, nada nos deixa mais surpresos de ver como pessoas, que prestam um serviço honroso ao Senhor há muitos anos, ainda mantêm em seus corações a chama de paixão pelo lugar do mundo onde nasceram.
E não é só isto, mas que são verdadeiros militantes de um país e não têm dúvida alguma em demonstrar essa posição, exibindo suas posturas e exaltando seus símbolos nacionais sempre que tenham oportunidade.
Estas situações podem semear muitas dúvidas no coração de pessoas de pessoas jovens na fé, por ter aceitado ao Senhor e que buscam pessoas de referência nas igrejas às quais pertencem.
A afirmação de serem discípulos de Jesus e, ao mesmo tempo, declararem profundo amor pelo país onde nasceram gera uma contradição que dá lugar a dúvidas.
Se eu me considero filho de um país, obviamente não possa afirmar que, ao mesmo tempo, também me sinta cidadão do Reino dos céus!
As duas coisas ao mesmo tempo não só são opostas entre si, senão que também são abertamente incompatíveis.  Não é possível ter dois senhores e não se pode ser bom e mau ao mesmo tempo.
Estes pensamentos são resultado de presenciar discussões ásperas entre pessoas de um mesmo país, mostrando suas rivalidades políticas quando, na verdade, deveriam ter perdido essa condição ao se declararem cidadãs do Reino dos céus.
É triste comprovar como o mundo exerce sua influência sobre nós que nos declaramos filhos do Deus Eterno!
Essa é uma influência profunda que afeta inclusive nossa relação com o Criador, porque alimentamos continuamente o fogo pela terra onde nascemos um dia e à qual continuamos cultuando.

A pergunta que deveríamos fazer, neste caso, é: E o Reino dos céus?

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ENTRADA

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

O que significa precisamente uma revelação?
Poderíamos dizer que é um aviso pessoal que, ao chegar a outras pessoas, se transforma em uma profecia que nos ajuda a aumentar o nível de relação com o Deus Eterno.
Neste sentido, fiquei comovido com uma revelação que me contaram sobre a necessidade de entender como são nossos laços com Deus.
Imaginemos uma esfera gigantesca nas regiões celestes, onde o Poder e a Soberania do Pai se encontram e, ao seu lado, nossa pequena esfera, que se move em paralelo, aproximando-se e afastando-se da grande esfera.
O que isto quer dizer?
Simplesmente que mantemos nossa vida e o controle dela de acordo com tudo aquilo que achamos que é bom e importante, imaginando-nos, assim, um futuro no qual podemos tomar nossas decisões livremente.
Esta é a aquela dimensão que podemos chamar de humana e também, poderíamos dizer adicionalmente, a da pequenez da nossa espécie, que nos obriga a pensar e a tomar decisões de acordo com essas pequenas grandezas.
Essa esfera diminuta e cheia de soberba que criamos é muito parecida àquela que as pessoas têm para suas vidas, afastadas ou em contenda com Deus, vivendo essa liberdade de atuar enganosa, sem nenhum tipo de norma ou, falando francamente, fazendo o que estamos a fim.
Foi com base nisso que alguns pensadores deram forma a uma linha filosófica totalmente voltada a negar a existência de um Criador.
Foi também com base nesses pensamentos que surgiu a suposta teoria da evolução que, apesar do tempo que passou desde então, continua nesse nível inexato de teoria, tendo em vista de que nada daquilo que apresenta pode ser comprovado em comparação com o que Deus criou com sua Palavra.
Essa bolha minúscula dentro da qual nos encontramos, presunçosa e tão pouco realista, é muito parecida a um conto de fadas em que as pessoas procuram viver ou, o que é pior ainda, sobreviver.
Depois de ouvir a revelação de que devemos deixar nossa esfera e adentrar com humildade, sem nenhum limite de tempo, na grandiosa esfera onde o Todo Poderoso exerce seu Poder, ao dar esse passo, terei tomado uma atitude profunda, a fim de que todas as coisas sejam fruto da Sua Vontade, representando um testemunho eloquente da minha fé.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

VAMOS CANTAR…?

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

Canta e mudarás toda treva em luz,
Cantarás, sim cantarás e a sombra se desfaz.
Ri e mudarás todo espinho em flor,
Sorrirás, sim sorrirás e o espinho se desfaz.
Sombra se desfaz, sombra se desfaz,
Quando orares, sim, terão as sombras fim.
Canta, ri e faz sempre a oração.
Canto ou riso ou prece traz ao coração a paz!
Assim haverá Luz ao nosso redor!!!

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com

O PODER DA CRÍTICA

 

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

 

Tenho visto que estamos, mais do que nunca, vivendo em uma onda expansiva de críticas “construtivas”. Em todos os lugares, redes sociais, aplicativos, filmes, televisão, o que mais vemos são ensinamentos de como viver melhor. Todas as pessoas têm algo para ensinar, um segredo de vida para desvelar, uma fórmula para ter sucesso – o tal “pulo do gato” para conseguir êxito. Medimos e somos medidos pelo que fazemos, temos, vestimos, trabalhamos, estudamos, etc. Não ouvimos o que as pessoas falam com a mente limpa, escutamos com uma resposta ou crítica preparada.

E o que isso tem a ver com a nossa vida com Deus? Tudo!

Quando a Bíblia fala em Mateus 7: “Não julgueis para que não sejais julgados. Pois com o critério que julgardes, sereis julgados, e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão a vós” – se refere exatamente a isso: não fale dos outros, não critique, você sabe o que ele/a está passando? Como é a vida dele/a? E mais ainda, DA MESMA MANEIRA farão com você.

E o que criamos com isso? Uma roda-viva que não tem fim: eu falo/critico/julgo = serei falado/criticado/julgado = o outro será falado/criticado/julgado…e isso não tem fim, cria uma nuvem sobre a cabeça da pessoa que anda carregando um peso que não sabe nem de onde vem isso. No final, gera uma falsa condenação/acusação/culpa que um ser humano não pode carregar, gerando então a destruição/morte da alma.

Jó passou por uma enxurrada de palavras, conselhos e críticas “do bem” dos seus amigos e familiares. Estavam errados? Queriam o mal de Jó? Não, em absoluto; queriam “ajudar”. Mas o que ele precisava mesmo era apoio/amor/compreensão e talvez ajuda, não palpite ou o famoso: “falo para o seu bem”.

Quando “comentamos” sobre alguém, o que fazemos na verdade é JULGAR – “fulano está fazendo isso, mas acho que seria melhor assim”, ou então, “fulano não está vendo a realidade” – crítica “construtiva” que tem o poder de destruir.

“Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês” – Mateus 7:12 – NTLH

Como você quer ser tratado?

Antes de falar de alguém, pense se você gostaria que fizessem o mesmo com você!

As palavras que saem da sua boca têm o poder de edificar ou destruir.

Pense antes de falar/comentar/criticar – vai edificar/ajudar/acrescentar?

Seja você o diferente no meio que vive, criando assim uma roda-viva que possa trazer vida!

Que o Espirito Santo nos mostre e possamos frear nossa língua.

Elié Ferreira

CORAÇÃO E MENTE

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

“Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.” – Provérbios 4:23

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente…”, Romanos 12:2

O que difere entre os dois versículos?

Ontem fui dormir pensando no que a minha filha mais nova tinha escrito em um trabalho da faculdade – que ela se comparava com um beija-flor, a única ave que voa para trás, mas que tinha tomado uma decisão na sua vida e isso não tinha volta atrás.

E você me perguntará: O que isso tem a ver com esses versículos? Pois tudo!

Vemos várias vezes no Antigo Testamento a recomendação de guardarmos nosso coração e, no Novo Testamento não se faz essa menção. Por quê?

Porque no dia que entregamos nossa vida a Cristo, reconhecendo como nosso Único Salvador, o Espirito Santo entrou e tomou conta do nosso coração, GUARDOU! Isso é muito forte e muda nosso relacionamento com Deus. Isso é intimidade, unidade, pertencer, fazer parte. Vivemos no tempo da Graça, nosso coração já pertence a Deus, nosso centro de vida é Deus.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.” Filipenses 4:7

A paz guardará o coração porque JÁ É DELE – pertence a Deus, é Sua propriedade.

Mas – sempre tem um “mas” – como toda propriedade, casa, vivenda – precisa ser cuidada, limpa, renovada, restaurada constantemente.

Então é quando os dois versículos acima se completam, ou seja, não têm diferença de ação apenas de tempo – antes tínhamos acesso por sacrifício, dependíamos da força, e agora pela Graça, dependemos do Espirito Santo.

Nossa atitude é “não voltar atrás”, não deixar nossa mente ser contaminada, não voltar na “lata de lixo para ver o que tem lá”. Devemos estar continuamente buscando limpeza, renovação, restauração, transformação da mente para não contaminar o coração. Um telhado com goteira molha a casa e estraga parede, móveis, etc. Uma mente contaminada leva enfermidade para o coração.

De onde surgem os infartos? Principalmente de preocupação, estrese, ansiedade, nervosismo, etc., etc… tudo procedente da MENTE.

De onde surgem os conflitos? Onde entram as informações através de música, vídeos, conversa, flertes, malícia, perversidade, etc., etc…. na MENTE.

Coração guardado, mente transformada – vida que funciona, prospera, vai para frente!

Que, ao ler isso, você busque essa mudança de pensamento, de conceitos de vida; volte à raiz, limpe sua mente de sujeiras, de modismos que só levam à morte da alma.

Viva para ser quem Deus criou para que fosse!

Procure conhecer o seu Pai e identificar-se com Ele!

Elié Ferreira

www.septimomilenio.com

OTROS dioses

CONGREGAÇÃO

SÉTIMO MILÊNIO

«Comunhão com ele.» (I João 1.6) – Quando, pela fé, nos unimos a Cristo, fomos colocados em uma comunhão tão completa, que nos tornamos um com Ele. Os interesses dEle e os nossos se tornam mútuos e idênticos. Temos comunhão com Cristo em seu amor. Amamos o que Ele ama. – Spurgeon

Acordei com a palavra: fazem ou têm outros deuses!

Comecei a pensar o que seria “outros deuses”, seriam ídolos? Imagens? Mas…o que é um deus, que lugar ocupa na nossa vida? Que “poder” damos a esse deus?

Um deus, no meu ponto de vista, é algo ou alguém que tem o domínio da vida, mente e, principalmente, do coração. Aquilo que direciona e guia os princípios, pensamentos, opinião e até gostos (musical, visual, estética, etc.).

Quando Deus fez o homem, Ele o fez à Sua imagem e semelhança, para ter identidade com Ele, gostar do que Ele gosta, pensar como Ele pensa, ver com Ele vê

Na meditação do Spurgeon hoje falava da “comunhão… tornar mútuo e idêntico”, ou seja, IDENTIDADE.

Enquanto buscarmos identidade fora daquela para a qual fomos criados só encontraremos vazio.

Hoje em dia, mais do que nunca, as pessoas buscam eternizar momentos de felicidade ou alegria para demonstrar que são felizes, sim.

Quem não conhece uma pessoa que posta algo no Facebook ou Instagram, e na verdade a vida dela não tem nada que ver com a imagem postada? Todos nós conhecemos!

Satisfação própria, liberdade de ação, filosofias sem fundamento, princípios destorcidos, vidas insaciáveis, almas sedentas… deuses mortos, sem braço, mão ou pé. Deuses criados com as nossas mãos.

Qual é a solução? A única que pode existir: Voltar ao princípio, voltar a ter a identidade com Aquele que nos criou.

“Era uma vez uma geração que se dizia livre e era dela mesma, que buscava a alegria eternizando momentos para demonstrar que era feliz, sem saber o que era isso, que busca varecordar o que era ser feliz revivendo tempos não vividos; era uma vez… uma geração que achava que Deus era para os avós, que não tinham nada mais e não “evoluíram”, não eram “cultos”… era uma vez uma geração que tinha outros deuses…”

Seja a pessoa que muda a história e não faz parte dessa geração!

Elié Ferreira

www.septimomilenio.com

MEU PAI

CONGREGAÇÃO

SÉTIMO MILÊNIO

 

Durante á noite, desperta, comecei a orar por meus netos.
Chegando em um deles, o Senhor me deu uma palavra para ele, sobre honrar os pais!
Qual.năo foi minha surpresa, que pela manhã recebí a meditação que fala sobre o assunto!
Mandei-lhe a meditação, e enviei junto uma gravação com a palavra que me dera o Senhor!
Entre outras coisas havia a pergunta: VOCÊ VIVE DE TAL MANEIRA, QUE TEUS PAIS SE SENTEM HONRADOS COM TUA VIDA?
Bem, não sei se ele volta a falar comigo…
Se não me procurar mais, não posso fazer nada, mas me pwrgunto: VIVI DE TAL MANEIRA QUE MEUS PAIS SE SENTIAM HONRADOS COM A MINHA VIDA?
Eles, está claro já não vivem, mas eu ainda sou filha deles, e tenho um «PAI» que me ama.
SENHOR, AJUDA-ME A VIVER DE TAL MANEIRA, QUE TÚ TE SINTAS HONRADO EM SER » MEU PAI!!!!

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com

OBEDIÊNCIA

CONGREGAÇÃO

SÉTIMO MILÊNIO

Fica uma pergunta no ar:
Como, a que, e a quem obedecer?
Vejo a obediência como uma atitude particular.
Não depende da opinião de ninguëm, mas de ninguém mesmo, só Daquele a quem eu devo obediência.
Pedimos muitos conselhos, inclusive a profissionais de aconselhamento, pastores, pais, amigos, etc…
Mas, creio eu, que dentro de nosso coração sabemos a quem e a que obedecer.
Disse Jesus: VÓS SEREIS MEUS AMIGOS SE FIZEREM O QUE VOS MANDO!
Ele é Nosso Amigo, e quer que sejamos Seus amigos.
Para ser seu amigo, temos que fazer o que Ele manda, assim de claro!
Além de obedecer, devemos também crer em SUAS PRECIOSAS PROMESSAS. Recordá-las, e crer que FIEL É O QUE PROMETEU, O QUAL TAMBÉM O FARÁ!
Se alguma promessa do Senhor não se cumpriu em nossas vidas, o problema deve ser nosso, porque ELE É FIEL, quem peca na infidelidade somos nós, levados por influências externas, concorda comigo?
Bem, esta é minha experiência…
Muitos, em certo tempo, me chamaram de louca, inclusive até eu me achava louca…rsrsrsrs
Espero que tenha sido por ser obediente…rsrsrsrs

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com