CONGREGAÇÃO elie1SÉTIMO MILÊNIO

Qual é o lugar mais difícil para enfrentar uma adversidade?

No meio dela, quando ela está acontecendo.

É muito difícil quando uma pessoa está passando por um luta interior enxergar uma saída, sempre está tudo escuro, a noite é mais dura de suportar, os problemas parecem ser maiores do que são, nunca encontra uma mão / ouvido / ombro amigo e, principalmente, de confiança.

Parece que está se afogando e não existe saída!

Como aplicar então a palavra de Deus nesse momento? Como usar essa Espada? Como segurar na mão “invisível” de Deus? Como exercitar a fé e usá-la? Como…Como…Como?

Perguntas difíceis de responder.

Ninguém quer ter problemas, lutas então, nem pensar!

Se pensamos em Abraão levando seu único filho para ser sacrificado, Daniel na cova dos leões, Jó na grande perda que sofreu, Moisés descendo do monte e vendo o bezerro de ouro, Jesus no Getsemani, achamos que eles tinham algo mais que nós, e não nos equivocamos!

Eles tinham FÉ. Usaram o Escudo da Fé.

E o que é Fé?

A certeza daquilo que se espera ainda que não possa ver, mas saber que está presente sempre. É a confiança total e absoluta de poder pisar uma ponte sobre um abismo sem ver nada e saber que haverá chão para o próximo passo. Sentir uma segurança que só uma criança sente quando pega na mão de seus pais, nada me pode passar, estou com meu Pai.

Encontramos na Bíblia que: “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6) e “tudo que não provém da fé é pecado (Romanos 14:23). Desconfiar da Fidelidade de Deus é pecado!

Deus zela por Sua Palavra, por aquilo que falou. Ele não pode mentir ou contrariar Sua Palavra.

Sei, por experiência própria, que na hora do fervor de uma situação e/ou problema é duro confiar totalmente nessa Palavra, mas é justo nesse momento que Deus quer ver a nossa confiança nEle, saber que mesmo se for chamuscado ou queimado I Coríntios 10:13 não vai falhar e que Romanos 8:28 é verdade, que Filipenses 4:12 e 13 é para cada um de nós. Usar Sua Espada e defender com Seu Escudo. Armas que devem ser usadas, afinal para isso foram dadas!

Estava agora pouco falando com minha 3ª filha sobre isso, viver por fé, confiando que Deus não nos deixará NUNCA, antes o que Ele quer é que confiemos nEle, no Seu Amor e Cuidado.

Quero te convidar a experimentar isso: viver com Fé, crendo e declarando o Salmo 23.

O Senhor é meu Pastor, NADA me faltará!

Elié Ferreira

www.septimomilenio.com

 

ECONOMIZAR E DESPERDIÇAR pt

tempes

As pessoas que, como eu, estamos vivendo os tempos finais da própria existência, temos tempo para analisar quilo que fizemos e o que deixamos de fazer.

Pensar sobre o pouco que fizemos certo e o muito que fizemos errado.

Eu, como quase todas as pessoas, um dia dei valor ao dinheiro e, a partir daí, todas as minhas preocupações se focalizaram em ter mais e guardar tudo o que pudesse.

O grande preço que estava pagando por isso – ignorei totalmente. Estava desperdiçando meu tempo em uma coisa que não tem o menor valor, exceto de usá-lo o necessário para viver.

Foi assim que muitos anos da minha vida foram investidos assim, desse jeito errado e desde essa perspectiva mesquinha – para dar valor ao dinheiro, tirei daquilo que realmente tinha e tem importância.

Em outras palavras: tentei economizar no que não devia e desperdicei loucamente o que deveria ter administrado com sabedoria.

É o dilema da nossa era: vamos em busca do dinheiro a qualquer tempo e desperdiçamos a única coisa valiosa que os seres humanos têm: o tempo!

É incrível como um afinal chegamos à conclusão de que, do mesmo jeito que temos o dinheiro, um dia o perdemos e mais tarde até podemos recuperá-lo.

Mas o tempo, esse escasso período de vida que nós, os humanos, temos, NUNCA poderemos recuperar!

Como sempre estamos em tempo de aprender, portanto, aprendamos!

A única coisa valiosa que temos e que deveríamos conversar e administrar com a máxima sabedoria é o nosso tempo de vida – aquele que dedicamos a Deus, nossa família e à Igreja no sentido que Jesus expressou.

Não desperdicemos a única coisa que temos de verdade!

 

Salmos 103:15-16

 Porque o homem, são seus dias como a erva;
como a flor do campo, assim floresce;

pois, passando por ela o vento, logo se vai,
e o seu lugar não conhece mais.

Diego Acosta / Salma Ferreira

www.septimomilenio.com

 

 

ARREPENDIMENTO

juicio3

Quando Paulo fez seu discurso em Atenas, ele mencionou a ordem de Deus que os homens se arrependessem dos seus pecados, estivessem onde estivessem.

O apóstolo estava falando diante da incredulidade de grande parte dos que o ouviam, porque estavam apegados a outros deuses.

Agora, porém, quem mandava que eles se arrependessem, era o único Deus que, depois do Sacrifício Supremo do Seu Filho Unigênito ter sido proclamado, deixava para trás o tempo da ignorância dos seres humanos.

Em outras palavras, Paulo estava dizendo no Areópago que, agora que a propiciação tinha se tornado pública, a desculpa da ignorância tinha perdido sua validade.

Deus só declara os homens justos através de Cristo, porque Ele levou sobre si o pecado de todos os homens, morrendo na cruz para sua expiação.

Um perdão tão grande pelos pecados somente pode ser recebido por fé – se nos arrependemos de cada um dos nossos pecados e iniquidades, podemos receber o galardão imerecido de sermos chamados filhos de Deus.

Portanto, nada do que os homens façam poderia possibilitar nossa justificação, nem obra nenhuma, por maior que seja, poderia conceder-nos esta Graça.

Tudo isto deve fazer com que nós nos lembremos que, de acordo com a Justiça do Nosso Deus Eterno, o arrependimento é o nosso único recurso para sermos perdoados, não sendo castigados como seria o merecido.

Paulo insistiu com os atenienses que se arrependessem!

Poderíamos dizer que, hoje, está repetindo essa mensagem urgente para que busquemos o arrependimento, porque não sabemos quanto tempo temos até o Dia do Juízo.

E esse dia pode ser hoje mesmo!

Atos 17:30

Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, em todo lugar, que se arrependam

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

 

HORROR? pt

As reações humanas são imprevisíveis, as minhas também, claro.

Estava lendo alguns posts quando, de repHorror2ente, vi uma fotografia de um rapaz totalmente armado. E a primeira coisa que pensei foi: “Que coisa horrível”!

Essa foi a primeira coisa, mas depois veio à minha mente essa confrontação daquilo que nós fazemos com o que a Palavra de Deus manda que nós façamos.

Nossa função é ficar chateados?

Nossa função é estar assustados?

Nossa função é reclamar?

Nossa função… qual é?

Se eu fosse capaz de dar uma resposta a estas perguntas, seria fácil ver que nossa função é estar onde Nosso Deus Eterno quer que nós estejamos.

Presentes nessa época histórica que Ele mesmo decidiu que nós devemos viver, porque sabe que estamos prontos para estar neste lugar e nesta hora.

E por que nós levamos sustos com o que acontece?

Porque de tanto enxergar sem examinar o que estamos vendo, deixamos de ter essa visão para cima, que deveríamos ter, para não olhar as circunstâncias e compreender que a nossa presença aqui e agora se justifica apenas enfrentando os acontecimentos com a Oração!

Ninguém mandou que nós fossemos valentes!

Ninguém!

Por isso, não é questão de valentia o que nos é pedido. O que nos é pedido, quando estamos diante de adversidades pessoais ou coletivas, e com isto queremos dizer o próprio mundo, nossa função é ORAR.

Esta é a arma poderosa que o Todo Poderoso colocou nas nossas mãos!

Não armas de fogo, mas sim essa arma incrível, com poder inimaginável, para que o mundo se prepare para os grandes acontecimentos do fim.

Nós, que falamos que somos filhos de Deus, não devemos nos esconder, ficar desesperados, desorientados, pensando em nós mesmos e nos nossos queridos.

Diante do horror, nossa reação deve ser cingir-nos da Armadura de Deus!

Orando, nossos olhos serão abertos para compreender a realidade em que estamos!

Mateus 24:10

Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros,

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

DRAMA pt

idol1

Ter um ídolo criado pelos homens é uma coisa terrível.

Por mais que a gente fale com ele, não somos ouvidos.

Por mais que lhe peçamos alguma coisa, ele não responde.

Por mais que lhe peçamos que veja, ele não enxerga.

A pesar disso, nós continuamos confiando nesses deuses que se parecem a seres humanos, porque são criados por homens.

A idolatria é tão cega como os seres sem vida que ela venera, e tem tanta tendência à morte quanto seus objetos de adoração sem vida.

A questão da idolatria é assim:

Não leva a nada, porque está inspirada no inexistente.

Se penso nisto, até posso fazer um tipo de lista de ídolos, alguns mais próximos, outros afastados, que a pouca visão dos nossos olhos humanos  procura adorar.

Me lembro que, um dia, eu tive nas mãos um objeto que “trazia sorte” para a pessoa que o levasse. Onde será que foi parar? E, pensando bem, onde está a sorte que deveria ter trazido para mim?

É assim que nós, os seres humanos, vemos o tempo passar, acreditando e deixando de acreditar em coisas sem vida, simples objetos feitos com destreza por mãos de hábeis artistas, que têm, eles mesmos, tantas dúvidas e necessidades como nós também.

E é assim o drama dos homens que nega a aceitar a existência de Deus e o Seu Poder.

Negando em compreender esta Verdade, se conformam com figuras bonitas, cuja maior propriedade é representar a beleza que as mãos de um ser humano são capazes de criar.

Um ídolo nunca vai falar com a gente, porque não pode!

Mas o Eterno responde, porque EXISTE!

Salmo 115:3-8

 Mas o nosso Deus está nos céus e faz tudo o que lhe apraz.

 Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens.

 Têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não veem;

 têm ouvidos, mas não ouvem; nariz têm, mas não cheiram.

 Têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam;

nem som algum sai da sua garganta.

 Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e todos os que neles confiam.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

 

O QUE ESTOU FAZENDO?

misioneros1

Eu estava ouvindo um testemunho impressionante de um missionário no Amazonas e, pouco a pouco, comecei a me deixar de escutar o que falava.

O motivo foi que comecei a perguntar a mim mesmo o que eu estava fazendo.

Essa história incrível começou a se desvanecer diante desta pregunta direta que eu mesmo conjeturava: O que eu estou fazendo?

Esta é aquele caso típico de começarmos a fazer alguma coisa, que depois vira para outro lado e, de repente, nos esquecemos de onde estava o princípio.

Porque tudo aquilo que vem depois acaba sendo mais importante. E foi isto o que aconteceu com esse testemunho. Não é que eu estivesse desprezando o que o missionário contava, mas sim estava comparando o que ele dizia com a minha própria realidade.

Pensei no que a palavra “missionário” significa e em tudo o que abrange quando é colocada em prática. Realmente esses homens e mulheres são tão exemplares porque o serviço que eles prestam está baseado na confiança total em Jesus e no apoio que Ele dá.

Ou seja, quando não temos outros recursos senão aqueles que são gerados com o próprio trabalho, quando não se conta com o apoio de nenhuma organização, apenas o esforço pessoal e a Mão Poderosa do Eterno.

É aí então que o significado de ser missionário muda totalmente e dá sentido viver em um país e trabalhar nele.

É difícil ser missionário nessas condições?

Provavelmente, mais do que se poderia imaginar. E é quando damos a oportunidade que apareça o maior recurso de um missionário: O Todo Poderoso! E, disto, não podemos nos esquecer!

Lucas 5:11

E, levando os barcos para terra, deixaram tudo e o seguiram.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

PARTITURA – pt

bachSe observarmos uma orquestra com atenção, veremos como cada músico tem um pedestal de suporte.

Muitas vezes, o maestro também tem um pedestal assim. No entanto, o que todos têm em comum quando vão começar a tocar é: a partitura.

Isto significa que alguém compôs uma peça musical para produzir aquela harmonia maravilhosa, como no caso de Bach, que é excelsa, porque honra ao Deus Eterno.

Como comentava, se observamos com atenção, veremos que a partitura está presente e que é seguida pelos músicos para interpretar o que contêm. Os maestros também usam partituras, ou às vezes não, se souberem de cor.

Isto nos leva a pensar sobre o que significa uma obra que alguém criou. No caso da música, muito grandes compositores são considerados verdadeiros gênios.

Por outro lado, muitas pessoas que possuem uma admiração, às vezes exagerada, por esses grandes homens por causa do seu talento, têm problemas em aceitar a existência do Grande Compositor.

Admitem que existem grandes criadores de peças musicais, mas não que exista um Único Criador de tudo aquilo que nós conhecemos e desconhecemos.

A existência de Deus pode ser perfeitamente compreendida pensando na música e na enorme importância das partituras – porque foram criadas por alguém.

Se compreendemos e aceitamos esta questão básica de lógica, porque é tão difícil aplicar o mesmo raciocínio para aceitar a exigência do Supremo Autor?

Quando penso nisto, tenho a necessidade de orar pelas pessoas que, tendo a capacidade de pensar e decidir, não aceitam fazer o mesmo sobre aquilo que realmente importa.

Hebreus 11:3

 Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

O SENHOR PROVERÁ

 

Jeová Jiré

O Senhor proverá

PAZ

O Senhor proverá

Um Propósito

O Senhor proverá

Cura

O Senhor proverá

Alegria

O Senhor proverá

Paixao

O Senhor proverá

Uma Palavra

Um Caminho

Uma Resposta

Um Descanso

O Senhor proverá

A Força para permanecer

O Senhor proverá

O Amor que voce está buscando

O Senhor proverá

O pagamento da tua Culpa

O Senhor proverá

Um Salvador

Jeová Jiré

www.septimomilenio.com

MISTÉRIO

parabola3
Na minha primeira época como cristão, eu ficava impressionado de ver que a MISTÉRIOS era usada na Bíblia, porque eu achava que isso tinha a ver com coisas do mundo.

Entretanto, a explicação que Jesus mesmo deu aos seus discípulos permitiu que eu entendesse que minha forma inicial de ver estava errada.

Essa não foi a primeira vez que me enganei não resta dúvida de que não será a única.

Mas é interessante pensar nesses erros, porque eles me colocam no lugar que me pertence: o de um homem que precisa continuar estudando, aprofundando os conhecimentos, para poder chegar a vislumbrar os maravilhosos assuntos que a Palavra de Deus guarda dentro dela.

Aprendi com Jesus, como ele já tinha ensinado antes aos seus seguidores, sobre o mistério do Reino dos Céus, que tem a ver com a nossa presença na Terra.

Estamos capacitados para estabelecer o Reino em todos os lugares que estivermos clamando pelo Santo Nome de Jesus.

Jesus disse que usava as parábolas por causa disto, para que somente quem cresse nEle, quem tivesse fé, pudesse entender o que Ele ensinava.

Sem fé, ninguém pode entender, não só o que significa o que Jesus ensinou, senão que o que significam todos os mistérios contidos no Antigo Testamento.

Sabendo que sou um seguidor de Jesus, que ainda tenho muito que aprender, tenho a certeza de que o que Ele me mostrou sobre o Reino serve de ânimo, para me esforçar a chegar cada dia mais perto da Palavra.

Que o nosso propósito de estudar a Bíblia não seja para conhecer os mistérios, ao contrário – os mistérios nos serão mostrados por causa da nossa fé e dos nossos esforços em estudar a Palavra.

Marcos 4:11

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ANTES…

orar
Pessoas como eu, que sempre têm a propensão de agir impulsivamente, vivem na beirada dessa área de risco que existe ao lado do abismo.

Pode ser que esta afirmação pareça exagerada, mas é assim como agimos em muitas circunstâncias e também são grandes assim os riscos que corremos.

Na ordem natural das coisas, antes de agir, o certo seria colocar nossa questão em oração e só quando recebêssemos a resposta, agir de modo correspondente.

Outra opção é deixar diretamente de lado aquilo em que tínhamos pensado e posto boa parte dos nossos sonhos!

Esta última possibilidade é a última empregada por pessoas que agem impulsivamente, porque colocam primeiro sua própria vontade e depois a de Quem detém sua verdadeira Vontade Soberana.

Se tivesse usado essa maneira de pensar, talvez minha vida tivesse sido bastante diferente, teria tido menos tropeços, menos problemas e principalmente mais obediência ao Senhor.

Este assunto foi um dos mais difíceis de entender para mim quando fui chamado pelo nosso Deus Eterno para fazer parte de sua família.

Achei que o batismo nas águas resolvia tudo, mas parece ser evidente que o batismo é um ato de fé pública e de que aceitamos a Jesus como nosso Senhor e Salvador.

É a partir desse momento que devemos começar a andar por esse difícil caminho de colocar nossa fé em ação, principalmente no que tem a ver com a obediência.

Devemos sempre orar ANTES e nunca depois de agir!

Esta fórmula tão simples é a que se exige de nós para seremos fiéis e a que evitará que demos passos errados de desobediência.

Atos 5:29

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com