INCRÉDULOS

DEVOCIONAL

Si Dios Manda, Obedecer. Si Dios Promete, Cumplirá.

Estas cuestiones que pueden resultar o muy sencillas o incomprensibles, son fundamentales en la vida de los que nos llamamos hijos de Dios.

La Biblia nos revela como Eliseo durante un tiempo de mucha hambre en la tierra mandó que se preparara una comida para los hijos de los profetas, que finalmente resultó mala, hasta que el profeta le agregó harina y pudieron saciar su necesidad.

Más tarde vino un hombre de Baar-salisa con veinte panes de cebada y trigo nuevo. La incredulidad del sirviente quedó de manifiesto con su pregunta: como pondré esto delante de cien hombres?

El hombre le respondió: Da a la gente para que coman y comerán y sobrará. Y se cumplió su palabra!

Cuántas veces dudamos de las promesas de Dios? Cuántas veces…cuántas veces!

Confieso que me abochorno de solo pensarlo. Poner en duda la Palabra del Eterno, es poner en duda el fundamento de todo lo que vemos y no vemos que ha sido Creado.

2 Reyes 4:44
Entonces lo puso delante de ellos,
y comieron, y les sobró,
conforme a la palabra de Jehová.

2 Reis 4:44
 Então, lhos pôs diante,
e comeram, e deixaram sobejos,
conforme a palavra do Senhor.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ABANDONO

DEVOCIONAL

Mirando partes de equipos en desuso, no pude sustraerme al pensamiento de lo que ocurre con las cosas que un día consideramos que ya no son útiles.

Simplemente las apartamos y las reemplazamos por otras, sin valorar lo que nos sirvieron ni el valor que le concedimos.

Si estas consideraciones las aplicamos a las personas, entonces los conceptos adquieren otra dimensión que nos provoca una profunda reflexión acerca de la falta de sensibilidad con la que obramos.

Es notable que del mismo modo que desechamos aquello que consideramos que ya no nos es útil, lo hacemos con las personas que en un determinado momento pasaron a formar parte de la lista del olvido.

Si me presentara ante Jesús con esa lista, que me diría?

Seguramente me mandaría a pedir perdón a cada uno de ellos, por la soberbia y la jactancia de sentirme superior y de considerar que ya no adecuados para mi vida. Y también les debería de pedir perdón, por olvidarme que el Eterno nunca abandona a los suyos.

2 Samuel 22:29
ES – Tú eres mi lámpara, oh Jehová;
mi Dios alumbrará mis tinieblas.

PT – Porque tu, Senhor, és a minha candeia;
e o Senhor
clareia as minhas trevas.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

DIFÍCIL

DEVOCIONAL

En una ocasión escuché que hacer un devocional por la mañana era muy difícil, porque no había tiempo para nada.

El argumento era que desde el momento en que uno se levanta, hay muchas cosas para hacer y todas con horarios, de manera que apartar unos minutos para Dios complicaba el comienzo del día.

Estas son las cosas que se escuchan y que quedan en algún pliegue de la memoria, pero que el Espíritu rescata a modo de inquietud acerca de cómo es nuestra relación con el Eterno.

Si ponemos la cuestión por la pasiva, podríamos llegar a la conclusión de que también el Todopoderoso está muy ocupado y que no tiene esos minutos que le negamos, para dedicarnos a nosotros sus hijos.

Está Dios tan ocupado que deja de mirarnos, de preocuparse por nuestras vidas?

El solo imaginar esto me produce temor, porque me siento desprotegido, abandonado, solo en un mundo hostil y perverso. Puede que este sea el método del Supremo, para recordarme que me debo a ÉL.

Miqueas 6:8
Oh hombre,
él te ha declarado lo que es bueno,
y qué pide Jehová de ti:
solamente hacer justicia, y amar misericordia,
y humillarte ante tu Dios.

Miqueias 6:8
Ele te declarou,
ó homem, o que é bom;
e que é o que o Senhor pede de ti,
senão que pratiques a justiça, e ames a beneficência,
e andes humildemente com o teu Deus?

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

 

DESORDEN

DEVOCIONAL

A veces los sencillos ejemplos son más ilustrativos que densos pensamientos.

Leí que una persona comparaba la llegada de Jesús, con una visita inesperada, cuando nuestra casa estaba desordenada, sin limpieza y además sin tener ganas de arreglar nada.

Seguramente ante esa visita trataríamos de disculparnos de todas las maneras y con los más variados argumentos. Esperando que el recién venido entendiera el fastidio y la vergüenza.

Pero con Jesús, como haríamos?

Servirían nuestras disculpas y nuestras razones?

Así de simple es la situación de nuestra vida. Cada día debemos estar preparados para la venida de Jesús!

Cada día!

Porque vendrá cuando no lo esperemos y tengamos todo en desorden, sin nada bueno que mostrar y con palabras vanas para justificar, lo injustificable.

Pensando en esto, he comenzado a arreglar mi casa, a limpiarla, a pagar mis cuentas y también a mostrar mis obras de fe. Sé que no habrá excusas y que a ÉL no lo puedo engañar.

1 Tesalonicenses 5:2
Porque vosotros sabéis perfectamente que
el día del Señor
vendrá así como ladrón en la noche.

1 Tessalonicenses 5:2
Porque vós mesmos sabeis muito bem que
o Dia do Senhor
virá como o ladrão de noite
.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

 

ENCONTRO…

Como posso te explicar o que aconteceu nos
» Encontros de Jovens», dos anos 60 em Goiânia?
Jovens, que se dedicavam em » BUSCAR A FACE DO SENHOR», ouvindo pregadores sérios, que pregavam a Palavra com poder, e momentos de oração que levavam ao reconhecimento do pecado proprio e consequente quebrantamiento que isto trazia?
Depois vieram os acampamentos, com momentos de » brincadeira» para agradar os jovens, como se os jovens fossem incapazes de levar a sério sua vida espiritual e necessitasse alguma distração para passar o tempo.
Que saudades daqueles Encontros com Deus!!
Será que um dia voltaremos a sentir saudades da Presença de Jesus, a ponto de deixarmos de lado nosso divertimento e passarmos 3 dias com Ele, sem outra meta, a não ser desfrutar de Sua gloriosa PRESENÇA?

Pensemos nisto!!!!

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com

O que você quer…

 

DEVOCIONAIS

– E lhes indagou Jesus: “Que quereis que Eu vos faça?” – Marcos 10:36
No nosso dia a dia, Deus está sempre nos ensinando e falando conosco.
Hoje falando com minha irmã sobre trabalho foi exatamente assim. Nos conformamos com o que temos à mão, mas será que é isso o que Deus tem para nós?
Aceitamos o que conseguimos “agarrar” com medo de perder, de ficar sem, de ser desprovido, por necessidade, etc. e eteceteras (a lista seria interminável), vivemos em um tempo onde as expectativas/cobranças são muito grandes.
Deus é nosso Pai, certo? E como tal, sempre se ocupa de atender a nossa necessidade – seja ela qual for – emocional, financeira, sentimental. Mas existe uma parte que nos incumbe como filhos: pedir, falar, levar a Ele nossa necessidade, duvidas, aflições, tristezas, enfim, TUDO.
Isso significa nossa dependência total dEle.
Jesus viu a pessoa enferma e ainda perguntou: O que você quer que eu faça? Será que Jesus não “enxergava” a necessidade dessa pessoa? Claro que sim! Mas o que Ele queria era ver a confiança/fé, que aquela pessoa estava disposta a confiar que só Ele teria a solução daquele problema.
Da mesma forma Deus quer ouvir de nós o quanto confiamos nEle e dependemos da Sua provisão e suprimento.
E isso não é apenas na enfermidade ou necessidade financeira, é em tudo.
Quantas vezes oramos (de verdade) antes de fazer algo ou tomar uma decisão?
Quantas vezes perguntamos, e esperamos a resposta, sobre um relacionamento ou empregoa Deus?
Deus quer ouvir de nós o que necessitamos, desejamos e sonhamos, e como bom Pai que é nos dará o que realmente possa produzir algo bom. Lucas 11 fala sobre isso: Qual pai dará pedra a um filho que pede pão?
Mas para isto é necessário ter este relacionamento com Ele, confiar e entregar TUDO a Ele – ..entrega teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará – conheça o PAI! Leia o “manual de sobrevivência” que Ele nos deu: a Bíblia. Desenvolva a intimidade, confiança, relacionamento, entrega.
Não aceite o primeiro que vier por medo, antes verifique que é isso que Deus tem para você. Deixe de lado aquilo que pode afastar você do Pai, sem medo, não vai faltar nada – o Senhor é meu Pastor, NADA me faltará.
Quero convidar você, agora, neste momento que está lendo isto, a ter um relacionamentopaternal de confiança e entrega total com Deus – isto é tudo que Ele espera de nós!

Elié Ferreira

www.septimomilenio.com

INDIFERENCIA

DEVOCIONAL

Si un día me despierto y no tengo deseos de hacer absolutamente nada, me debo preocupar?

O debo escudriñar mi corazón para saber que me está ocurriendo?

Es evidente que si tenemos en nuestro corazón a Jesús, este tipo de situaciones no nos deberían de ocurrir. Pero sin embargo, suceden. La cuestión es tratar de saber, por qué?

Lo primero es examinar nuestra relación con Dios, estamos orando, estamos obrando, como lo que somos, sus hijos?

Quizás ese sea el centro del problema, que nos estamos alejando del Eterno y entonces lentamente vamos perdiendo su Gracia y nos encontramos indefensos ante el menor de los problemas.

La indiferencia no es algo que recibamos del Señor, es una perturbación del enemigo que se aprovecha de nuestras debilidades y también de nuestra negligencia.

Le pido al Creador Sabiduría, para comprender que en esta situación lo único que puedo hacer es arrepentirme por mi iniquidad y volver al mejor lugar posible: A los pies de quién me ha dado la vida.

Job 28:28
Y dijo al hombre:
He aquí que el temor del Señor es la sabiduría,
y el apartarse del mal,
la inteligencia.

Jó 28:28
Mas disse ao homem:
Eis que o temor do Senhor é a sabedoria,
e apartar-se do mal
é a inteligência.

Diego Acosta / Neide Ferreira

A VISÃO…!

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

Estava estudando alguns ensinamentos bíblicos, mas tive sono e dormi tão profundamente que até sonhei. Poderia dizer que este seria um motivo para me envergonhar.
Mas o resultado foi totalmente inesperado, como quase tudo o que tem a ver com Deus e a forma de Ele agir.
No meu sonho, eu perguntava ao Senhor o que deveria fazer para conhecê-lo mais de perto, para ter uma relação mais profunda com Ele, poder entender quais eram Suas decisões em relação à minha vida.
Como todos os sonhos, este também teve sua particularidade.
De repente, vi um copo que se inclinava, derramando um tipo de líquido. E então uma voz falou: Se você quer mais profundidade, esvazie seu copo.
– Mas esvaziar de quê- Dos seus conhecimentos, da sua sabedoria, da sua vaidade, do seu orgulho, de tudo aquilo que você aprendeu pensando que era a verdade, de tudo aquilo que feriu, incomodou ou prejudicou você.
E não é questão de virar o copo de uma vez, senão deixar que saia tudo devagar, para não deixar nenhum resto velho contaminando o recipiente.
– Eu sou o recipiente, Senhor?
– Claro, quem senão você?
– E quando o copo estiver vazio, o que vai acontecer?
– Então, e só então, poderei lhe dar a Sabedoria que você me pediu, a capacidade de perdoar que sei que você tem no seu coração, a intenção de não julgar e de ser prudente.
Vou colocar estas e muitas outras coisas no copo, mas para isso ele precisa estar totalmente limpo, porque existem coisas que não podem ser divididas e uma delas é a Verdade.
Não posso colocar em seu copo sujo o significado da Verdade que meu Filho ensinou, porque ficaria contaminada com suas velhas convicções, com suas falsas certezas, com suas antigas rebeldias.
Quando o copo estiver limpo e brilhante, então poderei dar a você tudo o que decidi presentear por Graça – não porque mereça, mas sim porque preciso de você como um copo limpo, para levar esta mesma mensagem a outras pessoas.
No resista a este chamado, porque existem muitas coisas que te agradam e irão desaparecer da sua vida, mas nenhuma delas serve para aquilo que eu quero você.
Obrigado, Senhor!

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

O REINO

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

O sentimento de pertencer ao país onde nascemos é uma das questões que mais me surpreende, porque também pode ser vista naqueles que, como eu mesmo, falamos que somos filhos de Deus.
O mundo tem visto inúmeros conflitos, guerras horríveis, que tiveram como resultado milhares de vidas sacrificadas no satânico altar do fanatismo nacionalista.
Ainda hoje podemos ver como existem em algumas regiões do planeta ameaças de novos conflitos, revelando que as guerras por questões de nacionalismo continuam vivas porque o orgulho de pertencer a um determinado lugar ainda alimenta ódio nos corações.
Por isto, nada nos deixa mais surpresos de ver como pessoas, que prestam um serviço honroso ao Senhor há muitos anos, ainda mantêm em seus corações a chama de paixão pelo lugar do mundo onde nasceram.
E não é só isto, mas que são verdadeiros militantes de um país e não têm dúvida alguma em demonstrar essa posição, exibindo suas posturas e exaltando seus símbolos nacionais sempre que tenham oportunidade.
Estas situações podem semear muitas dúvidas no coração de pessoas de pessoas jovens na fé, por ter aceitado ao Senhor e que buscam pessoas de referência nas igrejas às quais pertencem.
A afirmação de serem discípulos de Jesus e, ao mesmo tempo, declararem profundo amor pelo país onde nasceram gera uma contradição que dá lugar a dúvidas.
Se eu me considero filho de um país, obviamente não possa afirmar que, ao mesmo tempo, também me sinta cidadão do Reino dos céus!
As duas coisas ao mesmo tempo não só são opostas entre si, senão que também são abertamente incompatíveis.  Não é possível ter dois senhores e não se pode ser bom e mau ao mesmo tempo.
Estes pensamentos são resultado de presenciar discussões ásperas entre pessoas de um mesmo país, mostrando suas rivalidades políticas quando, na verdade, deveriam ter perdido essa condição ao se declararem cidadãs do Reino dos céus.
É triste comprovar como o mundo exerce sua influência sobre nós que nos declaramos filhos do Deus Eterno!
Essa é uma influência profunda que afeta inclusive nossa relação com o Criador, porque alimentamos continuamente o fogo pela terra onde nascemos um dia e à qual continuamos cultuando.

A pergunta que deveríamos fazer, neste caso, é: E o Reino dos céus?

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

MALO

DEVOCIONAL

Malo, por definición significa de valor negativo o que se opone a la lógica o la moral.

Y un hombre malo, que significa?

Que tiene valor negativo y que obra contra la lógica y la moral?

Estas preguntas venían a mi mente, cuando escuché el nombre de un alto dignatario de un país que había sido detenido, procesado y condenado por casos de corrupción.

Este hombre era verdaderamente malo?

Y pensé que tal vez no, que no era malo en el sentido en el que me imaginaba la maldad. Es decir, la capacidad de hacer el mal por el placer de hacerlo.

Malo de corazón, duro, siniestro, destructor.

Está claro que siempre hubo y habrá hombres malos. Y deseo no formar parte de esa lista de corazones sometidos a la influencia nefasta, del enemigo de la fe, que se aprovecha de las debilidades y las utiliza para dominar mentes y acciones.

Estamos advertidos contra los malos. Y nuestra mejor arma es el Eterno, para derrotarlos.

Salmo 11:5
ES Jehová prueba al justo;
pero al malo y al que ama la violencia,
su alma los aborrece.

PT – O Senhor prova o justo,
mas a sua alma aborrece o ímpio
e o que ama a violência.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com