DECADENCIA

DEVOCIONAL

A lo largo de la vida de las personas hay momentos que se tornan en incomprensibles, pues sobrevienen problemas inimaginables, con consecuencias aún peores.

Es difícil comprender en ese tiempo que está sucediendo, por qué todo comienza a torcerse y a complicarse, sin que aparentemente existan motivos para que eso ocurra.

Más de una vez lo he vivido y lo he pensado. La conclusión es que siempre hay razones para que la vida se convierta en un torbellino que atrapa y nos lanza hacia el vacío.

Tengo la culpa?

Sin la menor duda. Soy culpable, porque a causa de mi orgullo y de confianza en mi propia fuerza y capacidad, fui desestimando al Eterno, hasta apartarme del centro de su Voluntad.

Por Gracia tengo una manera de resolver esta dramática situación. Es volver la mirada hacia lo Alto, pedir perdón y apartarme de toda forma de corrupción e incluso de la violencia que está en mi interior.

Isaías 3:1
ES – Porque he aquí que el Señor Jehová de los ejércitos quita de Jerusalén y de Judá al sustentador y al fuerte, todo sustento de pan y todo socorro de agua.

PT – Porque eis que o Senhor Deus dos Exércitos tirará de Jerusalém e de Judá o bordão e o cajado, todo o sustento de pão e toda a sede de água.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ENCONTRO…

Como posso te explicar o que aconteceu nos
» Encontros de Jovens», dos anos 60 em Goiânia?
Jovens, que se dedicavam em » BUSCAR A FACE DO SENHOR», ouvindo pregadores sérios, que pregavam a Palavra com poder, e momentos de oração que levavam ao reconhecimento do pecado proprio e consequente quebrantamiento que isto trazia?
Depois vieram os acampamentos, com momentos de » brincadeira» para agradar os jovens, como se os jovens fossem incapazes de levar a sério sua vida espiritual e necessitasse alguma distração para passar o tempo.
Que saudades daqueles Encontros com Deus!!
Será que um dia voltaremos a sentir saudades da Presença de Jesus, a ponto de deixarmos de lado nosso divertimento e passarmos 3 dias com Ele, sem outra meta, a não ser desfrutar de Sua gloriosa PRESENÇA?

Pensemos nisto!!!!

Pra. Arlete Batista Ferreira

www.septimomilenio.com

O que você quer…

 

DEVOCIONAIS

– E lhes indagou Jesus: “Que quereis que Eu vos faça?” – Marcos 10:36
No nosso dia a dia, Deus está sempre nos ensinando e falando conosco.
Hoje falando com minha irmã sobre trabalho foi exatamente assim. Nos conformamos com o que temos à mão, mas será que é isso o que Deus tem para nós?
Aceitamos o que conseguimos “agarrar” com medo de perder, de ficar sem, de ser desprovido, por necessidade, etc. e eteceteras (a lista seria interminável), vivemos em um tempo onde as expectativas/cobranças são muito grandes.
Deus é nosso Pai, certo? E como tal, sempre se ocupa de atender a nossa necessidade – seja ela qual for – emocional, financeira, sentimental. Mas existe uma parte que nos incumbe como filhos: pedir, falar, levar a Ele nossa necessidade, duvidas, aflições, tristezas, enfim, TUDO.
Isso significa nossa dependência total dEle.
Jesus viu a pessoa enferma e ainda perguntou: O que você quer que eu faça? Será que Jesus não “enxergava” a necessidade dessa pessoa? Claro que sim! Mas o que Ele queria era ver a confiança/fé, que aquela pessoa estava disposta a confiar que só Ele teria a solução daquele problema.
Da mesma forma Deus quer ouvir de nós o quanto confiamos nEle e dependemos da Sua provisão e suprimento.
E isso não é apenas na enfermidade ou necessidade financeira, é em tudo.
Quantas vezes oramos (de verdade) antes de fazer algo ou tomar uma decisão?
Quantas vezes perguntamos, e esperamos a resposta, sobre um relacionamento ou empregoa Deus?
Deus quer ouvir de nós o que necessitamos, desejamos e sonhamos, e como bom Pai que é nos dará o que realmente possa produzir algo bom. Lucas 11 fala sobre isso: Qual pai dará pedra a um filho que pede pão?
Mas para isto é necessário ter este relacionamento com Ele, confiar e entregar TUDO a Ele – ..entrega teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará – conheça o PAI! Leia o “manual de sobrevivência” que Ele nos deu: a Bíblia. Desenvolva a intimidade, confiança, relacionamento, entrega.
Não aceite o primeiro que vier por medo, antes verifique que é isso que Deus tem para você. Deixe de lado aquilo que pode afastar você do Pai, sem medo, não vai faltar nada – o Senhor é meu Pastor, NADA me faltará.
Quero convidar você, agora, neste momento que está lendo isto, a ter um relacionamentopaternal de confiança e entrega total com Deus – isto é tudo que Ele espera de nós!

Elié Ferreira

www.septimomilenio.com

O REINO

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

O sentimento de pertencer ao país onde nascemos é uma das questões que mais me surpreende, porque também pode ser vista naqueles que, como eu mesmo, falamos que somos filhos de Deus.
O mundo tem visto inúmeros conflitos, guerras horríveis, que tiveram como resultado milhares de vidas sacrificadas no satânico altar do fanatismo nacionalista.
Ainda hoje podemos ver como existem em algumas regiões do planeta ameaças de novos conflitos, revelando que as guerras por questões de nacionalismo continuam vivas porque o orgulho de pertencer a um determinado lugar ainda alimenta ódio nos corações.
Por isto, nada nos deixa mais surpresos de ver como pessoas, que prestam um serviço honroso ao Senhor há muitos anos, ainda mantêm em seus corações a chama de paixão pelo lugar do mundo onde nasceram.
E não é só isto, mas que são verdadeiros militantes de um país e não têm dúvida alguma em demonstrar essa posição, exibindo suas posturas e exaltando seus símbolos nacionais sempre que tenham oportunidade.
Estas situações podem semear muitas dúvidas no coração de pessoas de pessoas jovens na fé, por ter aceitado ao Senhor e que buscam pessoas de referência nas igrejas às quais pertencem.
A afirmação de serem discípulos de Jesus e, ao mesmo tempo, declararem profundo amor pelo país onde nasceram gera uma contradição que dá lugar a dúvidas.
Se eu me considero filho de um país, obviamente não possa afirmar que, ao mesmo tempo, também me sinta cidadão do Reino dos céus!
As duas coisas ao mesmo tempo não só são opostas entre si, senão que também são abertamente incompatíveis.  Não é possível ter dois senhores e não se pode ser bom e mau ao mesmo tempo.
Estes pensamentos são resultado de presenciar discussões ásperas entre pessoas de um mesmo país, mostrando suas rivalidades políticas quando, na verdade, deveriam ter perdido essa condição ao se declararem cidadãs do Reino dos céus.
É triste comprovar como o mundo exerce sua influência sobre nós que nos declaramos filhos do Deus Eterno!
Essa é uma influência profunda que afeta inclusive nossa relação com o Criador, porque alimentamos continuamente o fogo pela terra onde nascemos um dia e à qual continuamos cultuando.

A pergunta que deveríamos fazer, neste caso, é: E o Reino dos céus?

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ELEGIR…!

DEVOCIONAL

Qué es lo verdaderamente importante para cada uno?

Me hacía esta pregunta pensando en la sociedad en la que vivo y también a título personal.

Hay muchas personas que hablan de vivir bien…o del bien-estar!

Esta es una poderosa razón para vivir de una determinada manera y obrando en esa determinada dirección. La cuestión es: Esto es correcto o incorrecto?

Si lo analizo desde la perspectiva de que me considera hijo de Dios, evidentemente es totalmente incorrecto buscar con afán eso que llamamos bien-estar.

Por qué?

Es ilícito intentar vivir bien?

No es ilícito, pero si es contrario a lo que el Eterno ha establecido por cuanto no podemos buscar egoístamente nuestro bien-estar, sabiendo que nuestro prójimo padece necesidades que puedo remediar.

Si me despojara de todo lo superfluo que hay en mi vida, podría servirlo, mucho más de lo que me imagino. Y eso sí sería elegir sabiamente, tal y como lo enseñó Jesús a sus discípulos!

Hebreos 6:10
Porque Dios no es injusto para olvidar vuestra obra
y el trabajo de amor que habéis mostrado hacia su nombre,
habiendo servido a los santos
y sirviéndoles aún.

Hebreus 6:10
Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra
e do trabalho de amor que, para com o seu nome, mostrastes,
enquanto servistes aos santos
e ainda servis.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

LA CALLE

DEVOCIONAL

Una calle puede ser agradable o triste, según con los ojos con que se la mire. Puede ser también alegre o siniestra, según el estado de ánimo de quién la observe.

Hace unos días caminando en una gran ciudad, pude ver cuántas iban y venían, formando parte de esa especie de jungla, donde solo están seguros los más fuertes.

En esos momentos el Espíritu me advirtió sobre mi actitud, de ser solamente espectador, de ser solamente alguien que mira con una cierta preocupación.

No tengo el Mandato de llevar la Palabra de Salvación?

Y teniéndolo, por qué no lo llevo a esas personas que tanto me conmovieron?

Creo que estoy tan ocupado en mis hechos cotidianos, que no encuentro el tiempo necesario como para llevar a esos hombres y mujeres, la misma Palabra que cambió mi vida.

Que hubiera pasado conmigo, si la persona que me habló de Jesús, hubiera estado tan ocupada como yo lo estoy ahora?

Lucas 3:6
ES – Y verá toda carne
la salvación de Dios.

PT –  E toda carne verá
a salvação de Deus.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com

ENTRADA

CONGREGAÇÃO
SÉTIMO MILÊNIO

O que significa precisamente uma revelação?
Poderíamos dizer que é um aviso pessoal que, ao chegar a outras pessoas, se transforma em uma profecia que nos ajuda a aumentar o nível de relação com o Deus Eterno.
Neste sentido, fiquei comovido com uma revelação que me contaram sobre a necessidade de entender como são nossos laços com Deus.
Imaginemos uma esfera gigantesca nas regiões celestes, onde o Poder e a Soberania do Pai se encontram e, ao seu lado, nossa pequena esfera, que se move em paralelo, aproximando-se e afastando-se da grande esfera.
O que isto quer dizer?
Simplesmente que mantemos nossa vida e o controle dela de acordo com tudo aquilo que achamos que é bom e importante, imaginando-nos, assim, um futuro no qual podemos tomar nossas decisões livremente.
Esta é a aquela dimensão que podemos chamar de humana e também, poderíamos dizer adicionalmente, a da pequenez da nossa espécie, que nos obriga a pensar e a tomar decisões de acordo com essas pequenas grandezas.
Essa esfera diminuta e cheia de soberba que criamos é muito parecida àquela que as pessoas têm para suas vidas, afastadas ou em contenda com Deus, vivendo essa liberdade de atuar enganosa, sem nenhum tipo de norma ou, falando francamente, fazendo o que estamos a fim.
Foi com base nisso que alguns pensadores deram forma a uma linha filosófica totalmente voltada a negar a existência de um Criador.
Foi também com base nesses pensamentos que surgiu a suposta teoria da evolução que, apesar do tempo que passou desde então, continua nesse nível inexato de teoria, tendo em vista de que nada daquilo que apresenta pode ser comprovado em comparação com o que Deus criou com sua Palavra.
Essa bolha minúscula dentro da qual nos encontramos, presunçosa e tão pouco realista, é muito parecida a um conto de fadas em que as pessoas procuram viver ou, o que é pior ainda, sobreviver.
Depois de ouvir a revelação de que devemos deixar nossa esfera e adentrar com humildade, sem nenhum limite de tempo, na grandiosa esfera onde o Todo Poderoso exerce seu Poder, ao dar esse passo, terei tomado uma atitude profunda, a fim de que todas as coisas sejam fruto da Sua Vontade, representando um testemunho eloquente da minha fé.

Diego Acosta / Neide Ferreira

www.septimomilenio.com